Óbidos abre portas ao Natal!

Óbidos abre portas ao Natal!

A Vila Natal, inaugurada em Óbidos, promete muita diversão numa viagem ao fantástico mundo de Oletsac, onde, até 02 de janeiro, monstros primitivos se misturam com lagos de gelo, um planetário ou cidades de lego. “Vi um foguetão, os planetas e o Polo Norte, foi fixe”, relata Ivo, de oito anos, à saída do Planetário de Oletsac. Acompanhado de Tomás, da mesma idade, os dois amigos atropelam as palavras um do outro a contar a história de outros “quatro amigos que queriam ser astronautas”, os protagonista do filme acabado de ver dentro da tenda escura do Oppidum Planetário.

Uma antiga fortificação transformada em local de observação dos perigos dos aspetos mais fascinantes do céu e do espaço. Na enorme fila que aguarda vez para observar o céu de estrelas e planetas, alerta-se os ouvidos para antecipar as aventuras que esperam cada visitante ao entrar num dos espaços mais concorridos do Óbidos Vila Natal.

O cenário de enormes filas repete-se um pouco por todo o reino do fantástico, a cidade de Oletsac (castelo escrito de forma invertida).

Miúdos e graúdos embarcam na Viagem dos Engenhos, viajando pelo tempo com figuras de futuro e passado, entrando no Monstruário, no Covil dos Musaranhos, ou no Virtuarium, onde espelhos disformam a imagem. “Se pensam que os espelhos vos fazem gordos, é mentira, vocês é que estão mesmo gordos”, grita ao megafone o ardina contratado para a grande novidade da Vila Natal.

Este ano o evento tem direito a jornal próprio, esta semana com notícias difundidas ao megafone. As noticias, no reino do faz de conta, são de última hora e essenciais ao bom funcionamento das instituições: avisa-se que o Pai Natal cheira mal dos pés e pedem-se macacos do nariz para entregar com urgência ao druida que deles precisa para acabar a poção. “As notícias são quase todas mentiras”, admite Rafael Caetano, ator da companhia Vivarte, que veste a pele do ardina no reino de Dona Urraca.

No espaço onde tudo acontece, a trama segue o enredo criado por Miguel Silvestre, da empresa Óbidos Criativa, organizadora do evento em que “personagens inspiradas na história local e outras completamente fictícias criam o enquadramento para um conjunto de novas atividades de caráter mais pedagógico”.

A história de Oletsac é também “um incentivo à leitura” que se irá intensificar na próxima semana com a impressão em papel do jornal que contará a história do reino, explicando o conceito do evento e convidando “as famílias à leitura, ou aqui ou quando voltarem para casa”.

Até lá, o ardina encarrega-se de manter informados os visitantes: “se caírem com o rabo no gelo é favor levantarem-se, porque senão ficam com ele lá colado”, avisa à entrada do Lago (pista de gelo), onde durante todo o dia há centenas de pessoas a patinar.

A adesão a todas as diversões e espetáculos a que ninguém quer deixar de assistir sustentam a convicção do presidente da câmara, Telmo Faria, de que “a aposta na inovação dos conteúdos é uma aposta ganha”. “Vamos continuar a trabalhar para que vir a Óbidos, nesta altura do ano, seja uma tradição para a generalidade das famílias portuguesas”, disse.

A expetativa da organização é de que, até 02 de janeiro, entre 150 mil a 200 mil pessoas passem pelo certame, que abriu portas na sexta-feira e foi hoje inaugurado oficialmente.

LUSA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *